domingo, 12 de dezembro de 2010

Torta de grana padano com bacalhau e raízes de alho poró


Além de lindas as raízes ficaram deliciosas, principalmente se acompanhadas de uma bela maionese caseira...




Absolutamente instigante a  reportagem publicada no Paladar da semana passada sobre o melhor restaurante do Mundo, o dinamarquês Noma, que trabalha apenas com ingredientes locais frescos. O "apenas" não foi um forma hiperbólica de descrevê-lo; o chef René Redzepi se valhe de tudo o que está ao seu redor, em cada época do ano, como é o caso das microbatatinhas com notas de avelã, oriundas de batatas não colhidas que "morrem" na terra e proporcionam o seu nascimento. Outro prato do menu é o alho poró servido inteiro, com as raízes fritas assemelhando-se a uma flor, para que o comensal deguste e sinta a diferença de sabor e textura entre estas e o bulbo.

Ok, "microbatatinhas" raras estão fora do meu alcance -por enquanto!-, mas imaginem a minha cara de cachorro ao abrir a geladeira e descobrir que o meu alho poró não tinha raízes... Toca mandar  um e-mail para o Felipe e pedir esclarecimentos sobre a ausência das mesmas -santo Felipe, a propósito!-, o qual, prontamente, entrou em contato com o produtor e providenciou-as completas para a próxima semana.

Alguns dias depois, munida do alho poró completo, pensei que seria uma ótima oportunidade pra aproveitá-lo como um todo, das raízes às folhas, e foi o que fiz. Aqui, entretanto, cabe um adendo; o alho poró que usei era orgânico, pequeno e delicado, motivo pelo qual me senti totalmente à vontade para fatiá-lo de cabo a rabo. Os maiores também podem ser consumidos como um todo, mas possuem um sabor mais pujante, forte, que pode substituir uma verdura no prato, rechear um pão, ou aromatizar um caldo,  mas muito presente para acompanhar um peixe, como no caso dessa receita.

 

Torta de grana padano com bacalhau e flor de alho poró
rendimento: 2 porções


massa de grana padano (do TK)*

- 1 xícara (140g) de farinha de trigo;
- 100g de manteiga sem sal, gelada e cortada em cubos; e
- 1/3  xícara (34g) de queijo grana padano ou parmesão,  ralado

cobertura de bacalhau e alho poró

- 2 filés de bacalhau, já dessalgados;
- 2 alhos poró pequenos;
- pimenta dedo de moça, em cubinhos;
- azeite e sal; 
- massa bem fluida feita com 1 ovo batido, um pouquinho de leite, sal e farinha; e
- óleo suficiente para fritar as raízes.

1. Prepare a massa conforme indicado pela Patrícia e cubra duas forminhas redondas de fundo removível, de 11x3 cm - sobrará um pouco de massa, que pode ser guardada na geladeira, ou usada para forrar uma terceira forminha.

2. Para o recheio de bacalhau, apenas refogue os filés em um pouquinho de azeite e desfie-os.

3. Corte o alho poró em rodelas finas, reservando as raízes. Refogue-o em um pouquinho de azeite e tempere-o com a pimenta. 

4. Monte a torta colocando o bacalhau e o alho poró sobre a massa; leve-as ao forno baixo, apenas para que se mantenham quentes.

5. Frite as raízes de alho poró, após passá-las na massa. Como são bastante fibrosas, tem de estar bem fritas; tome cuidado apenas pra não queimá-las. Deixe-as secaram sobre um papel toalha.

6. Acomode as raízes fritas sobre cada torta e sirva-as.

Um comentário:

  1. Gente do céu, que prato mais chique! Tô boba, Sá! Lindo demais!

    ResponderExcluir

Comentários

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails